Em meio ao barulho dos carros, o movimento dos pedestres na rua, escondido atrás de prédios, existe um oásis de tranquilidade e espiritualidade em São José dos Campos. É o Sanatório Maria Imaculada, patrimônio histórico, cultural e religioso do município que completa 80 anos no dia 6 de outubro. A instituição pertence ao Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada.

Fundado em 1935 por Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico, o Sanatório Maria Imaculada recebe mensalmente a visita de milhares de pessoas. A maioria delas busca conforto espiritual ou apoio social.

Sanatório Maria Imaculada Foto: Divulgação

“O período sanatorial foi marcado por muito sofrimento. Foi a necessidade de ajudar e apoiar as mulheres tuberculosas que motivou Madre Teresa a construir o Sanatório. A partir desse trabalho, a obra se expandiu. Felizmente, muitas pessoas receberam ajuda e ainda continuam recebendo. Permaneceram a vida, a fé e a religiosidade no local”, explica a Irmã Sandra Maciel Notolini, superiora geral da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada.

Atualmente, o Sanatório Maria Imaculada abriga a sede do Governo Geral da Congregação das Pequenas Missionárias, um Pensionato para Idosas, a Capela do Maria Imaculada e o Memorial de Madre Maria Teresa que conserva todos os objetos do período que ela viveu no local.

Sanatório foi fundado por Madre Maria Teresa

 

O Sanatório Maria Imaculada foi idealizado por Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico, fundadora da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, que se encontra em processo de canonização no Vaticano.

Em 1926, após a morte da mãe, a jovem Dulce Rodrigues dos Santos retornou a São José dos Campos para consolidar sua cura da tuberculose e iniciou neste mesmo ano sua ação missionária junto aos doentes na cidade.

Sanatório Maria Imaculada Foto: Divulgação

Preocupada com o ambiente inadequado oferecido em várias pensões da cidade, Dulce intensificou o trabalho de assistência a mulheres tuberculosas.

Junto com outras jovens, cuidou de muitas doentes mantendo casas e pensões na região central da cidade. “A Pensão da Dona Dulce” se tornou conhecida pelo trabalho caridoso junto às tuberculosas e por ser um dos melhores e mais sadios locais para o tratamento da doença.

Preocupada com o aumento do número de doentes na cidade, Dulce, com poucos recursos financeiros, comprou um chácara na Rua Major Antônio Domingues com a finalidade de construir um Sanatório. A pedra fundamental foi lançada em 25/3/1933.

No dia 2/8/1935, Dulce transferiu cerca de 35 jovens doentes que atendia em uma pensão na Praça Afonso Pena para o então Sanatório Maria Imaculada. A inauguração aconteceu oficialmente no dia 6/10/1935.

 

Congregação religiosa nasceu do trabalho caritativo junto às tuberculosas

O importante trabalho realizado pela jovem Dulce Rodrigues do Santos tornou-se conhecido dos doentes e era acompanhado pela igreja.

Nesse período, Dulce foi chamada por Dom Epaminondas Nunes D’Ávila e Silva, bispo de Taubaté na época, que manifestou o desejo de constituir uma Congregação diocesana para as obras de caridade.

A pedido do bispo, Dulce elaborou um documento definindo o carisma (espiritualidade, campo de ação e objetivos) da futura associação.

Sanatório Maria Imaculada Foto: Divulgação

Em 1932, enquanto Dulce dava continuidade ao atendimento às doentes, foi criada a Associação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada com cinco associadas.

Neste período, passou a liderar entusiasticamente os trabalhos de construção, o que motivou Dom Epaminondas a transformar a Associação em Congregação Religiosa.

Sanatório Maria Imaculada Foto: Divulgação

Em 14/10/1934, enquanto o Sanatório Maria Imaculada era construído, Dom Epaminondas autorizou as irmãs a vestirem o hábito e usarem o nome religioso. Dulce foi denominada então superiora da Congregação e recebeu o nome de Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico.

Local abriga os restos mortais de Madre Maria Teresa

Ao contrário do que muitos joseenses pensam, os restos mortais de Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico não estão no Cemitério Municipal.

Em 1º/9/2005, durante o processo de canonização que foi iniciado em 1997, os restos mortais foram transferidos para a Capela de Maria Imaculada, que fica dentro do Sanatório.

Sanatório Maria Imaculada Foto: Divulgação

Ao lado do altar, uma lápide vertical em granito marrom guarda os restos mortais e as vestes intactas de Madre Maria Teresa.

O local recebe visitas diárias de devotos que depositam flores e pedem graças à venerável. Todo dia 8 de cada mês, no momento da santa missa, data em que se celebra o aniversário da morte da Madre, as Irmãs colocam os pedidos de graças de seus devotos diante do altar.

O período sanatorial
Na primeira metade do século XX, São José dos Campos ganhou destaque nacional na chamada fase sanatorial, quando inúmeros doentes procuravam o clima da cidade em busca de cura para a tuberculose, o que tornou o município conhecido como “Cidade Esperança”.
Sanatório Maria Imaculada Foto: Divulgação

Os sanatórios eram edificações hospitalares, criadas e mantidas, principalmente por ordens religiosas, e que ofereciam aos pacientes amparo médico e assistência filantrópica.

Fazem parte da história da evolução das instituições hospitalares e dos estabelecimentos destinados ao isolamento de enfermos, sendo considerados precursores na introdução de novos sistemas de higiene, disciplina e do controle social.
O período Sanatorial marcou toda a organização espacial e social de São José dos Campos, com a introdução de novas profilaxias e meios de tratamento dos doentes tuberculosos.

O Sanatório Maria Imaculada atendeu doentes até 1978 quando o tratamento da tuberculoso passou a ser feito em nível ambulatorial.

O Sanatório hoje

 

O Sanatório Maria Imaculada abriga atualmente a sede administrativa da Congregação das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada, uma casa de repouso para idosas, a Capela Maria Imaculada, onde há duas Missas por dia, Adoração do Santíssimo Sacramento Exposto, locais de silêncio e espiritualidade e o Memorial de Madre Maria Teresa de Jesus Eucarístico.

Sanatório Maria Imaculada Foto: Divulgação

No local moram cerca de 80 religiosas, 45 pacientes idosas e trabalham 100 funcionários. As religiosas também realizam trabalhos sociais junto à comunidade carente por meio das pastorais de rua, vocacional e da saúde. Também é realizado um trabalho de aconselhamento e orientação às famílias, Adoração, Terço e Oração Silenciosa.

Sanatório desempenhou diversas atividades ao longo dos anos

 

O Sanatório Maria Imaculada já desenvolveu diversas atividades ao longo dos anos.

Além do cuidado com os doentes, no local eram realizadas cirurgias para retirada de costela (toracoplastia) e retirada de pulmão (pneumectomia). Também havia um laboratório onde eram realizados estudos sobre a tuberculose e diversos tratamentos para tentar a cura da doença.

Como atendia em sua maioria mulheres, o Sanatório contava com uma sala de parto. Os bebês eram enviados para a Casa Santa Inês, também fundada por Madre Maria Teresa para atender os filhos das tuberculosas.

O Sanatório também atendeu cerca de 400 padres e seminaristas necessitados de cuidados de saúde, bem como tuberculosos. O pavilhão, que foi construído especialmente para cuidar dos religiosos, foi sede ainda da Escola de enfermagem Dom Epaminondas.

Muitos joseenses fizeram catequese no Sanatório onde havia um Centro Catequético para crianças. No local também, Madre Teresa deu atendimento pessoalmente às mães e famílias mais pobres.

Quem foi Madre Teresa

 

Dulce Rodrigues dos Santos veio em 1922 para São José dos Campos para se tratar de tuberculose. Inconformada com a situação dos doentes iniciou um trabalho humanitário com o propósito de oferecer dignidade, saúde e esperança para essas pessoas.

Esse trabalho deu origem a uma obra social presente em 5 estados brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina e Mato Grosso e Distrito Federal) e em 4 países (Brasil, Portugal, Itália e África) por meio de atendimentos nas área da saúde, assistência social, educação, formação religiosa e pastoral. Em São José dos Campos, entre as obras dirigidas pelas Pequenas Missionárias estão o Hospital Antoninho da Rocha Marmo e o Hospital Pio XII. Em Caraguatatuba, as religiosas são responsáveis pelo Hospital Stella Maris.

 

 

Visitas podem ser agendadas antecipadamente pelo telefone (12) 99199-8963 ou 3921-5637.

R. Major Antônio Domingues, 244 – SJCampos

Fonte: Instituto das Pequenas Missionárias de Maria Imaculada