Já estão disponíveis no Brasil técnicas inovadoras que evitam cirurgia na coluna e
podem ser custeadas pelo convênio médico.
A novidade foi trazida pela NeuroSafe, uma agência focada na publicidade de
inovação médica, notadamente técnicas alemãs para o tratamento de dor crônica na coluna.
“Compreensivelmente, grande parte da população tem medo de se submeter a uma
cirurgia convencional da coluna. O que normalmente não sabem é que já é possível tratar
diversas doenças na coluna, como hérnia de disco por exemplo, sem qualquer incisão (é o
caso da Descompressão Discal a Laser) ou com uma incisão de apenas 1 cm (como na
Videoendoscopia da Coluna)”, explicou Antonio Igor Batista, sócio-fundador da NeuroSafe.
Ele continua: “Não se tratam de tratamentos paliativos só para amenizar a dor. Os
resultados são permanentes e com diversos benefícios em relação à cirurgia convencional
como: menor tempo de internação, alta no mesmo dia do procedimento, mínima perda de
sangue e retorno às atividades normais em apenas sete dias”.
Os números da população em geral já são alarmantes. De acordo com o Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), 1 em cada 5 brasileiros têm problemas
crônicos na coluna, sendo a segunda maior incidência de diagnósticos, perdendo apenas
para a hipertensão. A Organização Mundial da Saúde aponta que 80% da população
mundial já sofre ou terá dor na coluna, que é a segunda maior causa de visita de pacientes
aos médicos, perdendo apenas para a dor de cabeça. E as dores nas costas, de acordo
com o Ministério da Previdência Social, foram a causa que mais afastou os brasileiros dos
postos de trabalho em 2023; foram 171 mil afastamentos.

Em países desenvolvidos, as técnicas minimamente invasivas já são a primeira
opção em tratamentos de doenças na coluna, ao passo que as cirurgias convencionais,
aquelas de placas e parafusos, são até mesmo proibidas por lei em alguns casos. Aqui no
Brasil tem sido papel da NeuroSafe garantir que tais procedimentos sejam realizados com
cobertura total do convênio médico, sem qualquer custo ao paciente.
Se a tecnologia tornou possível procedimentos minimamente invasivos seguros e
com recuperação completa em poucos dias, já acessíveis a alguns privilegiados, o desafio
da NeuroSafe tem sido levar isso à população em geral. “Em resumo, ajudamos
interessados a passar em consultas nas clínicas particulares dos mais renomados
neurocirurgiões, um dentre os poucos médicos especialistas em tais técnicas. E, no caso de
um pedido de procedimento, atuamos em toda burocracia administrativa até obtenção de
autorização do convênio médico privado de modo que todo o tratamento se dê com
cobertura total da operadora de saúde”, afirma Antonio Igor.
A iniciativa já existe há quatro anos em São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal,
onde mais de 3.600 pessoas já foram beneficiadas. No estado de São Paulo os médicos
parceiros da NeuroSafe também realizam consultas em São José dos Campos.
A NeuroSafe tem tido êxito em garantir cobertura total de tratamentos inovadores
para pacientes da maioria dos convênios médicos. “Recebi documentos dizendo que eu
não arcaria com nenhuma despesa financeira, que meu plano cobriria tudo”, disse Carlos
Oliveira, um dos pacientes que gravou um depoimento no site da NeuroSafe, se referindo
ao termo que o médico assina para cada paciente assegurando que, mesmo que surja
algum contratempo e o médico receba do convênio um valor baixo ou mesmo não receba, o
paciente jamais será cobrado. Ou seja, a NeuroSafe cuida para que o médico assuma
integralmente o risco de qualquer ônus financeiro, compromisso sem o qual apenas uma
fatia mais privilegiada da sociedade poderia se beneficiar das técnicas minimamente
invasivas.
Para mais informações a respeito é possível acessar o site da NeuroSafe no
endereço eletrônico www.neurosafe.com.br.
Além de depoimentos de pacientes e vídeos informativos, por lá pode ser realizado o
agendamento de consulta com um dos médicos especialistas.